Como ficam as escolas cívico-militares da Zona da Mata e Vertentes após governo federal decidir encerrar o programa?

Criado em 2019 durante o governo Bolsonaro (PL), iniciativa permitia que colégios públicos aderissem ao modelo cívico-militar. Nas regiões, três serão afetadas; veja quais são.

O governo federal decidiu encerrar o Programa Nacional de Escolas Cívico-Militares (Pecim). A informação foi revelada pelo g1 na quarta-feira (12). Na Zona da Mata e Campo das Vertentes, há três colégios que fazem parte da iniciativa. Veja abaixo como ficam as escolas cívico-militares das regiões.

Das três contempladas nas regiões, duas são estaduais e a outra municipal. São elas:

  1. Escola Municipal Embaixador Martim Francisco, em Barbacena: em nota, a Prefeitura disse que irá discutir sobre o assunto e a melhor alternativa para os estudantes. Atualmente, 440 alunos do Ensino Fundamental II são contemplados com o projeto.
  2. Escola Estadual Cônego Osvaldo Lustosa, em São João del Reiprojeto seguirá funcionando. A gestão será compartilhada pela Secretaria de Estado de Educação (SEE-MG) e o Corpo de Bombeiros, conforme o governador Romeu Zema (Novo). O anúncio foi feito nesta quinta-feira (13) pelas redes sociais.
  3. Escola Estadual Governador Bias Fortes, em Santos Dumontprojeto segue, após confirmação do estado. O local tem 370 alunos.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *