‘As Órfãs da Rainha’: filme apoiado pela Energisa foi lançado em Cataguases e já conquista prêmios internacionais

O longa-metragem As Órfãs da Rainha foi patrocinado pela Energisa.

O longa-metragem ‘As Órfãs da Rainha’ mesmo antes de ser lançado no Brasil, o que aconteceu nesta quinta-feira, 09 de março, em Cataguases, já conquistava prêmios internacionais como o de melhor filme histórico da 14ª edição do Toronto International Women Film Festival.

Multidão de pessoas Descrição gerada automaticamente

A obra, da diretora Elza Cataldo, uma produção brasileira, realizada com o apoio do Grupo Energisa e do Polo Audiovisual da Zona da Mata em Minas Gerais, conta a história das irmãs Leonor, Brites e Mécia, criadas sob proteção da Rainha de Portugal e forçadas a viajarem para o Brasil Colônia para casarem e formarem família. O objetivo era ocupar o novo território para a Coroa Portuguesa.

Rodado e finalizado entre os anos de 2017 e 2022, em Tocantins (MG), cerca de 40 pessoas residentes na região da Zona da Mata, entre técnicos, mestres de obra, marceneiros, carpinteiros e outros prestadores de serviço participaram diretamente da construção de Vila Morena, lugarejo fictício onde irá se passar o drama das três irmãs portuguesas, gerando trabalho e renda para centenas de profissionais locais e setores de serviços da região.

Para o diretor-presidente da Energisa Minas Rio Eduardo Mantovani, “o incentivo à produção do audiovisual na região da Zona da Mata é compromisso do Grupo Energisa para incremento da Economia Criativa local para geração de emprego e renda. O polo é um potencial arranjo produtivo com mais de 1.000 empregos diretos gerados a partir da realização das produções em nossa região. Fizemos uma articulação importante para trazer à nossa região o Edital de Co-investimentos Regionais, em 2019, para o desenvolvimento do audiovisual. Uma parceria público-privada que reuniu recursos do Governo Federal – ANCINE, Governo do Estado de Minas Gerais e Prefeitura de Cataguases, a partir de uma articulação realizada pela Fundação Ormeo Junqueira Botelho e patrocínio de R$ 1,8 milhão do Grupo Energisa. No total, o Edital investiu R$ 10 milhões em 16 produções audiovisuais na região”.

A sessão especial de pré-estreia foi realizada nesta quinta-feira, 09 de março, no Centro Cultural Humberto Mauro, em Cataguases, com a presença da diretora do filme Elza Cataldo, do elenco principal – Rita Batata, Camila Botelho, Jay Baptista e Alexandre Cioletti, – representantes do Polo Audiovisual, autoridades, diretores e colaboradores da Energisa.

Grupo de pessoas em pé posando para foto Descrição gerada automaticamente

 

Uma imagem contendo pessoa, no interior, edifício, grupo Descrição gerada automaticamente

Uma das presenças marcantes e que emocionou todos os presentes foi da Monica Botelho, responsável por colocar a Zona da Mata Mineira como grande centro de cultura no Brasil e de associar a marca Energisa ao cinema nacional contemporâneo. Mônica Botelho foi presidente da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho e Assessora de Relações Sociais do Grupo Energisa.

Pessoas sentadas em sofá Descrição gerada automaticamente

Nos últimos dez anos, foram realizados na região pelo Polo Audiovisual, com patrocínio da Energisa, mais de sessenta obras audiovisuais, dentre filmes de longas e curtas-metragens, séries de televisão, animações e vídeos clipes, mobilizando cineastas, produtores e equipes técnicas e artísticas de Minas Gerais e de outros estados brasileiros. Grande parte dessas obras já foram exibidas em mostras, festivais, televisão e salas de cinemas, conquistando prêmios e alcançando um grande público no Brasil e no exterior. Desde 2012, o Grupo Energisa destinou – via patrocínio incentivado, pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura R$ 12 milhões de reais. 

Pessoas posando para foto Descrição gerada automaticamente com confiança média

Fonte: Energisa

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *