Projeto formaliza polo audiovisual de Cataguases e região

Desde a instituição do APL foram realizadas 27 produções audiovisuais, que geraram 1.500 empregos diretos e uma movimentação de R$ 31 milhões na economia da região

Maria do Caritó filmado no distrito de Piacatuba foi uma da 27 produções realizadas na região (Divulgação)

Na reunião da Comissão de Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa de Minas Gerais nesta quinta,19/05 foi aprovado parecer de 1º turno favorável ao PL 1.027/19, do deputado Fernando Pacheco (PV), que institui o Polo Audiovisual de Cataguases e Região. O parecer do deputado Fábio Avelar de Oliveira (Avante) foi pela aprovação da matéria na forma do substitutivo nº 1, que apresentou.

O substitutivo incorpora duas emendas apresentadas pela CCJ em análise anterior e cita, expressamente, os municípios incluídos no polo, e não a mesorregião da Zona da Mata, divisão regional que não é mais utilizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As emendas da CCJ harmonizam a nomenclatura do polo com a da ementa da proposição e alteram seu reconhecimento de patrimônio imaterial do Estado para relevante interesse cultural, mais adequada.

TRAMITAÇÃO

“Em sua justificação, o autor argumenta que Cataguases e região constituem importante centro de produção audiovisual. Para ele, a economia criativa já é realidade na Zona da Mata Mineira, e o Polo Audiovisual, que já existiria de fato, precisa ser formalmente reconhecido”, aponta o relator em seu parecer.

Com a aprovação do parecer, a matéria também seguirá agora à análise da FFO antes de ser votada pelo Plenário.

O parecer lembra ainda que a Comissão de Cultura, em sua análise do projeto, informou que já existe um arranjo produtivo local (APL) audiovisual que engloba os municípios de Cataguases, Muriaé, Itamarati de Minas, Miraí e Leopoldina.

APOLO

O APL foi formalizado em 2008 e, em 2014, foi criada a Agência de Desenvolvimento do Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais (Apolo), organização social sem fins lucrativos, sediada em Cataguases, que gerencia o APL e tem por objetivo atrair produções para serem realizadas no polo audiovisual.

Segundo dados da Apolo, desde a instituição do APL foram realizadas 27 produções audiovisuais, que geraram 1.500 empregos diretos e uma movimentação de R$ 31 milhões na economia local.

“De fato, a cadeia do audiovisual é componente importante da economia de países em variados níveis de desenvolvimento, como é o exemplo não apenas dos Estados Unidos, como também da Índia e da Nigéria, entre outros”, destaca o parecer.

“Também o Brasil há décadas registra a exportação de produtos audiovisuais, como é o caso das telenovelas. Dessa maneira, verifica-se que o setor audiovisual tem grande potencial econômico”, aponta, por fim, Fábio Avelar de Oliveira em seu parecer.

Fonte: ALMG

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *