Ferrovias da Zona da Mata poderão ser exploradas pela iniciativa privada

Cinco trechos que passam por municípios da Zona da Mata poderão ser explorados pela iniciativa privada. A informação foi divulgada no início do mês após o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), assinar um decreto para transferir à iniciativa privada a administração de 19 ferrovias do Estado.

De acordo com o Governo de Minas, a expectativa é atrair R$ 26,7 bilhões para o setor. Além disso, a exploração de linhas de menor extensão, conhecidas como “shortlines”, pode gerar mais de 370 mil empregos.

O decreto regulamenta a Lei nº 23.748/2020 que prevê um plano estadual de transporte ferroviário. Conforme o Estado, a previsão é que as empresas interessadas poderão assinar contratos com validade de 25 a 99 anos.

Veja os trechos:

Turismo

  • Caparaó – Espera Feliz
  • Cataguases – Além Paraíba
  • Viçosa – Cajuri

Regional:

  • Mariana – Além Paraíba

Cargas:

  • Miguel Burnier – Ponte Nova – Ubá – Muriaé

Malha ferroviária em MG

A malha ferroviária do estado é a maior do país, com 5 mil quilômetros de extensão, o que corresponde a 16,3% das ferrovias do país. Ela passa por 180 dos 853 municípios mineiros.

Destes 5 mil quilômetros, 1.500 estão abandonados ou desativados, de acordo com estudos feitos para a elaboração do Plano Estratégico Ferroviário de Minas Gerais (PEF-MG).

Fonte: G1

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *