Patrimônio Cultural de Cataguases

Cataguases, Terra de Gente Boa!

Localizada na Zona da Mata de Minas Gerais, Cataguases possui um rico acervo de arquitetura moderna, construído entre as décadas de 1940 e 1960. O IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) realizou o tombamento individual de 16 edificações, em 1994 e, em 2003, foi tombado o conjunto histórico, arquitetônico e paisagístico da cidade. O patrimônio cultural é formado por obras de Oscar Niemeyer, dos irmãos MMM Roberto, Aldary Toledo, Francisco Bolonha, Carlos Leão e Edgar Guimarães do Valle, dentre outros arquitetos.

Niemeyer é autor dos projetos do Colégio Cataguases e da residência Francisco Inácio Peixoto. Artistas plásticos, paisagistas e designers de móveis também marcaram a cidade com seus trabalhos: Cândido Portinari, Djanira, Emeric Marcier, Anísio Medeiros, Bruno Giorgi, Jan Zach, Burle Marx e Joaquim Tenreiro, entre outros. Na história de Cataguases, destacam-se os efeitos da prosperidade econômica – alcançada pela produção cafeeira, a chegada da ferrovia e, posteriormente, a industrialização – sobre a cultura local.

No início do século XX, a facilidade de comunicação com o Rio de Janeiro, proporcionada pela ferrovia, possibilitou o desenvolvimento de um cenário propício às artes, principalmente as ligadas ao Movimento Modernista, pelo qual a cidade tornou-se conhecida. Entre 1927 e 1929, foi lançado, por grupos locais, o Manifesto Literário e publicada a Revista Verde, modernista. A partir de 1940, iniciou-se a fase da arquitetura e arte modernistas que se estendeu até o fim da década de 1960.

A família Peixoto, proprietária de indústrias têxteis – além de suas residências – financiou boa parte das obras modernas, algumas moradias para funcionários de suas indústrias, escola, cine-teatro, hospital, monumentos, praças, entre outros equipamentos urbanos. Destacam-se, ainda, os painéis e mosaicos utilizados como revestimento em muitas fachadas, assinados por importantes artistas brasileiros.

Além de todas as características estilísticas modernas dessas obras, entre suas peculiaridades estão os acabamentos cuidadosos, o uso de materiais e revestimentos diversos e sua combinação cromática, o uso sem parcimônia do mesmo tom de azul, amarelo e cor-de-rosa que se repetem nas paredes de diversas obras, a profusão de muros em pedra cuidadosamente trabalhados, a cobertura em fibrocimento em alguns edifícios, a ousadia tecnológica demonstrada pelo uso do concreto armado na obtenção de grandes vãos e nas formas não convencionais para a época, a presença dos solários, e as escadas que conectam quartos com salas e cozinhas.

Cataguases é, sem dúvida, uma das cidades que possui um dos maiores acervos culturais do país, o que torna a cidade um verdadeiro museu de arte e história a céu aberto.

Clique AQUI para conhecer a inscrição do patrimônio cultural de Cataguases nos livros de tombos do IPHAN.

Clique AQUI para conhecer o patrimônio cultural de Cataguases.

Clique AQUI para conhecer o projeto Memória e Patrimônio Cultural de Cataguases, do Instituto Cidade de Cataguases.

Fonte: PMC

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *