Período Áureo em Cataguases segundo o livro “O Município de Cataguases”

Atravessava o município por volta de 1894, como o país, uma era de prosperidades e opulências, salvo as mortíferas e perniciosas epidemias de febres más que anualmente devastavam a população da cidade.

Cataguases, nessa quadra, atingiu ao apogeu da prosperidade e do progresso, e por toda parte reinavam uma atividade assombrosa e um espírito de ousadas iniciativas, que tiveram acentuação sensível nos domínios da administração. Foi o período áureo, a idade de ouro desta terra! O Brasil se afogava em dinheiro… Foi a época do café a R$30.000, do encilhamento agrícola, das empresas prósperas, das iniciativas arrojadas.

Cataguases era o grande empório regional do comércio do café e uma rica e movimentada praça comercial.
Casas do comércio houve que venderam para mais de 700 contos em um ano. A vida social tornou-se brilhante. A revolta de 6 de setembro havia expelido do Rio de Janeiro milhares de pessoas, centenas de famílias, e muitas delas vieram procurar asilo nesta cidade.
Foi quando Cataguases edificou os seus melhores prédios, construiu o seu primeiro jardim, o do largo do Comércio [pça. Rui Barbosa], possuiu algumas fábricas e multiplicou em todos os sentidos as suas fontes de renda.

Iniciou a construção do Teatro Recreio Cataguasense, grande e formoso edifício inaugurado em 7 de setembro de 1896, e do Paço Municipal, além de outros edifícios. Fez-se o calçamento das ruas, o cimentamento dos passeios, pontes, bueiros, estradas etc.

Fonte: Joaquim Branco/ Facebook

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *